Arquitetura sustentável: saiba o que é e como fazer

0
538

Cada dia mais os debates sobre sustentabilidade têm crescido e com os avanços tecnológicos novas práticas têm surgido. Por isso, a arquitetura sustentável está ainda mais presente em novos empreendimentos. 

Portanto, ao comprar um imóvel é possível encontrar construtoras e incorporadoras implementando mais iniciativas de sustentabilidade. Entre as mais utilizadas está o investimento em paisagismo, capaz de controlar a temperatura.

Pensando nisso, preparamos o conteúdo a seguir com tudo o que você precisa saber sobre arquitetura sustentável. Conheça o conceito dessa prática, como implementar e os principais benefícios de curto e longo prazo.

Arquitetura sustentável: o que é?

Como você já sabe, a arquitetura sustentável está relacionada ao meio ambiente. Por isso, é uma maneira de pensar as construções a partir de design e funcionalidades que gerem menos impacto ambiental. 

Para isso, são pensadas alternativas capazes de melhorar a necessidade de desenvolvimento urbano com os cuidados com a mata e diferentes ecossistemas. Portanto, seu principal foco é possibilitar a auto suficiência e diminuir gastos energéticos. 

Certamente, entre as principais práticas da arquitetura sustentável estão as placas solares, as estruturas pré-moldadas e o estímulo ao uso de materiais recicláveis. De modo geral, é uma maneira de garantir a qualidade de vida às próximas gerações.

Para proporcionar uma arquitetura sustentável é preciso um estudo profundo sobre as condições do local e os impactos que o empreendimento pode causar. A partir disso, é possível determinar as melhores ações para gerar menor impacto ambiental.

Principais benefícios da arquitetura sustentável

Agora que você já sabe do que se trata a arquitetura sustentável, é possível conhecer os principais benefícios de sua prática. Inclusive, o principal é a preservação do meio ambiente.

Afinal, a construção civil é um dos mercados que mais afeta o meio ambiente. Outro benefício é proporcionar uma maior autonomia aos empreendimentos. Com os moradores podendo suprir suas próprias necessidades, sem necessidade de terceiros.

Ou seja, produção de fontes energéticas, criação de hortas e alimentação contínua. Além disso, a arquitetura sustentável gera uma redução de custos. Afinal, diminuem os gastos com conta de luz, água e outras contas.

Fatores que podem ser determinantes para uma melhor aceitação do público, aumentando as possibilidades de aluguéis e vendas dos imóveis. 

2 passos para implementar a arquitetura sustentável

2 passos para implementar a arquitetura sustentável

Se você ficou interessado em colocar em prática a arquitetura sustentável em seu apartamento ou casa, confira o passo a passo a seguir da arquitetura sustentável na construção civil.

1- Pré-construção

O primeiro passo para a elaboração da arquitetura sustentável é o estímulo à criação de áreas verdes. Ou seja, investir em paisagismo é uma das principais alternativas e passos para melhorar a ventilação, sombreamento e temperatura do imóvel.

Portanto, são estudos que precisam ser realizados ainda na fase de desenvolvimento do projeto, levando em consideração localização do sol e ventilação. Afinal, o acúmulo de prédios e casas tende a aumentar os ruídos e deixar os locais mais quentes.

2- Estudo e aproveitamento dos materiais locais

A segunda etapa é entender que tipo de materiais e processos podem ser desenvolvidos no empreendimento. Para isso, é preciso um estudo profundo sobre as condições do terreno, como tipo de solo e clima da região. 

A partir desse estudo, é possível determinar as melhores soluções para políticas sustentáveis, priorizando o uso de materiais reciclados e reutilizados. Além disso, é importante utilizar matérias-primas naturais e fontes de energia renováveis.

Principais práticas da arquitetura sustentável

Entre as diversas práticas de sustentabilidade as que mais se destacam são reaproveitamento de água, otimização do uso de energia e tratamento de resíduos. 

Um projeto que defende a arquitetura sustentável deve investir em práticas de reutilização de água, como sistemas de captação, tratamento e reuso da água da chuva. Geralmente essa água pode ser utilizada para sanitários, limpeza de jardins e áreas comuns.

Além disso, a otimização de energia é uma das principais práticas de sustentabilidade espalhadas pelo mundo, principalmente os painéis solares. Com eles, é possível utilizar a luz solar para aquecer os chuveiros e gerar energia para todo o empreendimento.

De modo geral, ele não é garantia de luz mesmo em períodos de apagão, e sim uma maneira de diminuir os gastos com a conta de energia. Afinal, na grande maioria das vezes, você passa a ser um produtor de energia para a empresa responsável pela sua cidade.

Ou seja, tudo aquilo que você produz a partir dos painéis solares é abatida da conta de luz mensal. Por fim, os tratamentos de resíduos, como o sanitário seco, no qual investe em adubos naturais para gerar hortas e alimentos para a comunidade.

Investir em plantações, árvores e flores além de ajudar na produção de alimentos orgânicos, também auxilia na melhora do controle de temperatura na região. Assim como, na produção de um ar menos poluído e proporcionando menos doenças respiratórias.

Por que investir em arquitetura sustentável?

Por que investir em arquitetura sustentável

Agora que você já sabe tudo sobre arquitetura sustentável, é possível entender que ela é fundamental para garantir uma melhor qualidade de vida a curto e longo prazo. A partir disso, pode gerar também diminuição de gastos com contas de luz e água. 

Além disso, tende a ser uma ótima maneira para estimular o relacionamento entre os moradores, na troca de conhecimentos e ideais. Assim como, aumentar a prática de atividades simples como coleta seletiva de lixo e reciclagem.

Conclusão

Até aqui foi possível entender o que é a arquitetura sustentável e como ela é importante para a melhora da qualidade de vida de todos. A partir dela é possível criar um ambiente menos poluído e mais interativo. 

Entre suas principais vantagens estão a preservação ambiental e a economia de gastos, como contas de luz e de água. Com isso, práticas como reutilização e captação de água da chuva e painéis solares são os mais utilizados. 

Agora que você já sabe tudo sobre arquitetura sustentável, já pode implementar as dicas no seu condomínio ou encontrar algum que já as faça. Ou seja, dar a sua parcela de ajuda ao meio ambiente e as próximas gerações.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here