Nascer da própria rima

311

Eu sou uma onda farfalhante

Um hibisco cambaleante

Um asfalto quente

Uma vidraça em decomposição

Uma semente em acomodação

Sou um pensamento que não tive

Um amor que não ficou

Sem tua imagem louca

Eu não sei quem sou

Só sei que tu e a natureza sois uma coisa só

Começo pensando ela

E sempre nasces tu na rimadela…

Autora: Maristela Elicker Dauve

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui