Lixo Eletrônico: entenda o que é

0
821

Podemos classificar como lixo eletrônico aquele aparelho eletrônico ou elétrico que consideramos obsoleto, ultrapassado, velho e que é descartado como lixo. Para citar alguns: televisão, aparelho celular, tablet, computador, impressora e muitos outros.

O lixo eletrônico, devido ao consumismo crescente em grande parte dos países, especialmente nos países em desenvolvimento, está se tornando um problema cada vez

lixo eletrônico

Lixo Eletrônico

maior. Nesta era impulsionada pela tecnologia, a quantidade de lixo eletrônico está crescendo de forma acelerada porque o tempo de vida útil para os dispositivos e produtos está cada vez mais curto. Em 1997 a vida útil para um computador era de seis anos. Em 2005 caiu para dois anos. Outro fator que gera a produção acelerada de lixo eletrônico é a busca contínua dos consumidores, de todas as idades, pelo dispositivo mais moderno, considerado “melhor”. Consequentemente as empresas aproveitam este consumismo do cidadão e criam novos produtos, com pequenas variações como: formato diferente, cores diferentes, uma pequana atualização no software ou hardare e outras. Desta maneira o que era moderno hoje, amanhã já é ultrapassado.

A necessidade de reciclagem do lixo eletrônico

Estima-se que 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico são produzidas a cada ano no mundo inteiro. Somente nos Estados Unidos são descartados em torno de 30 milhões de computadores por ano e na Europa aproximadamente 100 milhões de celulares são descartados a cada ano.

O lixo eletrônico é um resíduo que, não sendo tratado de forma adequada, pode gerar grandes danos ambientais e à saúde pública.

A eletrônica moderna pode conter até 60 elementos diferentes; muitos são valiosos, alguns são perigosos e alguns são ambos. A combinação mais complexa de substâncias geralmente está presente nas placas de circuito impresso. Os equipamentos elétricos e eletrônicos são os principais consumidores de metais preciosos e especiais. Sua demanda é muito grande, gerando problemas de esgotamento dos recursos naturais agora e num futuro próximo.

A implantação de técnicas de reciclagem do lixo eletrônico, além de reduzir o impacto sobre os elementos naturais utilizados para sua produção, também contribui consideravelmente para a redução da emissão dos gases que geram o efeito estufa.

É importante ressaltar que, além da contribuição ambiental, a reciclagem de lixo eletrônico está se tornando um negócio bastante rentável, em diversas áreas do mundo, especialmente nos países desenvolvidos. Uma das técnicas mais utilizadas na reciclagem do lixo eletrônico é aquela onde o aparelho é desmontado e suas peças são separadas, fazendo uma triagem. Com isto há uma recuperação dos materiais valiosos utilizados na composição do aparelho. Os benefícios ambientais e sociais da reutilização incluem a diminuição da demanda por novos produtos e matérias-primas, menos embalagem por unidade, disponibilidade de tecnologia para faixas mais amplas da sociedade, devido à maior acessibilidade dos produtos; e diminuição do uso de aterros sanitários.

Aparelhos comuns como o celular, televisores, aparelhos de som, videocassetes, possuem elementos muitos valiosos em sua composição e que podem ser reaproveitados. Dentre este metais valiosos estão o chumbo, o cobre e o ouro.

Um dos principais desafios é a reciclagem de placas de circuito impresso a partir dos resíduos eletrônicos. As placas de circuito contêm metais preciosos como o ouro, a prata, a platina, etc. e metais básicos como o cobre, ferro, alumínio, etc. Uma forma de reciclagem deste lixo eletrônico é o derretimento das placas de circuito, queimando o revestimento dos cabos para recuperar o fio de cobre e a lixiviação ácida a céu aberto para a separação de metais de valor. O método convencional empregado é o de trituração mecânica e separação, mas o nível de reciclagem é baixo. Métodos alternativos, como a decomposição criogênica têm sido estudados para a reciclagem de placas de circuito impresso e alguns outros métodos ainda estão sob investigação.

Etapas da reciclagem do lixo eletrônico

Podemos classificar a reciclagem do lixo eletrônico em três etapas contínuas:

1) Coleta – Nesta etapa faz-se a coleta do lixo eletrônico e a separação do material que realmente é útil e poderá ser aproveitado para a reciclagem.

2) Triagem, desmonte e pré-processamento – Nesta etapa faz-se a triagem, separando as substâncias perigosas e armazenando-as em locais adequados. Isto inclui a remoção de baterias, condensadores, etc, antes do pré-tratamento. As baterias dos dispositivos podem ser enviadas para instalações específicas para a recuperação de cobalto, níquel e cobre.

3) processamento final – Após o pré-tratamento pode-se dar as seguintes destinações: partes ferrosas são direcionados para usinas siderúrgicas para a recuperação de ferro; partes de alumínio podem ser enviadas para fundições de alumínio, enquanto partes que possuem cobre/chumbo ou outros metais preciosos podem ser enviados à fundições que recuperam metais preciosos ou não ferrosos.

Os benefícios que a reciclagem do lixo eletrônico traz à sociedade são diversos: aumento da renda para pessoas menos favorecidas; diminuição do volume de lixo nos aterros sanitários; redução de gastos com saúde pública devido às doenças ou contaminações ocasionadas por componentes eletrônicos e uma redução considerável dos recursos naturais.

Confira publicação da UNEP (inglês)

Autor: Amarildo R. Ferrari

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here