Os Resíduos Orgânicos e a Compostagem

0
1255

Resíduos orgânicos são todos aqueles resíduos de origem vegetal ou animal. Em sua maioria os resíduos orgânicos são produzidos nas residências, empresas, escolas, ou mesmo na natureza, através de decomposição de folhas, troncos, animais mortos, etc.

Os resíduos orgânicos estão aumentando dramaticamente, especialmente nos países em crescimento e que estão tendo melhorias em sua economia. Isto leva a um consumo maior e consequentemente a uma maior produção dos resíduos orgânicos e também inorgânicos. Algumas pessoas estão aprendendo a reutilizar estes resíduos, através de técnicas de compostagem ou aproveitamento em jardins e hortas. Porém, os resíduos orgânicos provenientes de residências ainda é um problema para os gestores públicos e para os municípios. Muitos destes resíduos acabam por serem despejados em lixões a céu aberto, criando graves problemas de saúde e ambientais. Os aterros sanitários, que podem reduzir em muito este problema, ainda não são uma solução na maioria das cidades brasileiras.residuos organicos

Os resíduos orgânicos, no momento de sua decomposição, criam um líquido conhecido como chorume, o qual é composto por bactérias, matéria podre e mesmo elementos químicos contaminantes que, caso atinjam um lençol freático, torna-o poluído e com graves consequências ao meio ambiente e à saúde da população.

Compostagem

Há diversas formas de utilização dos resíduos orgânicos, bastando para isso aplicar os métodos corretos. Uma das principais formas é a compostagem.

A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam os resíduos orgânicos, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo, a que se chama composto, e que pode ser utilizado como adubo. Com a compostagem aproximadamente 50% dos resíduos orgânicos produzidos numa residência tem seu destino final adequado. Além disto, geram adubo, podem substituir pesticidas e herbicidas e ajudam na retenção da água.

A decomposição dos resíduos orgânicos ocorre devido à ação de bactérias e fungos. Pequenos invertebrados, como minhocas e milípedes também ajudam no processo de decomposição. A compostagem pode converter os resíduos orgânicos em humus em questão de semanas ou meses. Este não é um processo complicado e pode ser feito mesmo por pessoas que moram apartamentos nas grandes cidades.

Benefícios da compostagem:

  • Fornece uma maneira útil de recuperar nutrientes dos resíduos orgânicos;
  • Economiza um espaço valioso no aterro sanitário e reduz a possível contaminação do solo e da água, devido ao chorume;
  • Pode ser usado como fertilizante na horta, jardim ou outros locais;
  • Melhora o estado do solo, pois o adubo produzido pela compostagem não desgasta o solo fértil como muitos fertilizantes químicos.
  • No processo de decomposição dos resíduos orgânicos não se forma o gás metano que é altamente prejudicial ao meio ambiente e muito mais prejudicial à camada de ozônico do que o gás carbônico.
  • O processo de decomposição na compostagem atinge temperaturas bastante elevadas eliminando muitos patógenos.

A compostagem de resíduos orgânicos pode economizar dinheiro e reduzir os impactos ambientais também nas empresas.  A reciclagem é uma maneira fácil e adequada para as empresas reduzirem os resíduos orgânicos e outros tipos de resíduos. A maioria das empresas produz de alguma forma resíduos orgânicos. Pode ser restos de almoço de funcionários ou mesmo resíduos de áreas de jardim. Estes resíduos orgânicos podem ser processados fora da empresa, por serviços terceirizados ou podem ser compostados ou parcialmente processados ​​no local.

Precisamos mudar nossa visão em relação aos resíduos orgânicos. A Política Nacional dos Resíduos Sólidos (Lei 12305/10) em seu artigo 9º nos diz que somente necessitam de um destino final, ou seja, aterro sanitário, aqueles resíduos que não podem ser aproveitados de qualquer forma. Como vimos, temos possibilidade de aproveitar os resíduos orgânicos em nossa própria casa através da compostagem. Basta que façamos a nossa parte.

Assista o Vídeo

Autor: Amarildo R. Ferrari

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here