Incentivar a Cultura de Higiene e Segurança no Trabalho nas Empresas de Construção Civil em Angola

336

SUMÁRIO

O presente trabalho tem como objetivo estimular a cultura de segurança dentro das empresas de construção civil em Angola e realizar treinamento de equipes, planeamentos participativos e o gerenciamento dos riscos.

A segurança no trabalho deve fazer parte do planeamento estratégico de qualquer empresa de construção civil em Angola. Afinal, acidentes de trabalho têm efeitos negativos na produtividade, abalam o clima organizacional e gera gastos referentes a processos judiciais e indenizações. Por conta dessas consequências, esses tipos de ocorrência podem afetar drasticamente a posição da empresa no mercado.

Diante desses motivos, razões não faltam para colocar a segurança no trabalho no topo das prioridades das empresas de construção civil em Angola em 2019. O estímulo à cultura de segurança traz resultados mais efetivos, uma vez que envolve todos os membros da organização.higiene segurança no trabalho angola

  1. INTRODUÇÃO

O primeiro passo para estimular a cultura de segurança no trabalho nas empresas de construção civil é realizar uma análise detalhada sobre os acidentes de trabalho ocorridos, identificando as causas e as consequências desses fatos. Essas informações são fundamentais para elaborar o planeamento estratégico de segurança.

Além disso, a radiografia do ambiente de trabalho mostrará os pontos fortes e fracos da organização no que diz respeito à segurança no trabalho. Resultados satisfatórios não devem conduzir a organização ao comodismo: sempre é possível melhorar os processos gerenciais e as condições de trabalho.

  1. METODOLOGIA

É importante fazer uma revisão geral das leis e normas relativas à segurança no trabalho, de modo a evitar problemas com a fiscalização e processos contratuais. A organização deve atender às exigências legais e estar atenta a novas metodologias que proporcionam a construção da cultura de segurança no trabalho. Para atualizar os líderes setoriais, a empresa deve programar reuniões,palestras, workshops, entre outros eventos para difundir as leis e normas de segurança.

  • Elabore um planeamento participativo

A partir da radiografia e da revisão de leis, normas e contratos, a empresa consegue estabelecer metas e objetivos em relação à segurança no trabalho. É essencial ter um plano de ação que englobe todos os setores da organização, pois não é possível consolidar a cultura de segurança sem planeamento e sem a participação de todos. É importante dar abertura para que os próprios funcionários apresentem sugestões para o planeamento da segurança no ambiente de trabalho, estimulando o comprometimento de todos com a segurança.

  • Realize treinamentos de equipes

Acidentes de trabalho ocorrem por várias razões: atos inseguros (falha humana) e condições inseguras (falta de manutenção de equipamentos e maquinas, ausência de Equipamentos de Proteção Individual e coletivos, procedimentos operacionais ultrapassados), entre outros. Para evita-los, é fundamental estabelecer programas de treinamento, capacitação e atualização em segurança no trabalho. Quanto mais elevado for o nível de conhecimento dos colaboradores sobre segurança no trabalho, menor será o risco de acidentes.

  • Supervisione

Por melhor que seja o desempenho dos funcionários em relação às normas de segurança, é fundamental supervisionar e controlar todos os procedimentos, principalmente aqueles que envolvem operações de maior risco de acidente. Com supervisão e controle, é possível corrigir falhas, aperfeiçoar procedimentos, introduzir tecnologias mais avançadas e antecipar providências que podem evitar graves problemas.

  • Gerencie os riscos

A atenção deve ser redobrada durante a execução de atividades perigosas e que podem oferecer consequências graves não apenas para os integrantes da organização, mas para a vizinhança e à população que transita em sua área de abrangência. É fundamental que a organização elabore um Programa de Gerenciamento de Riscos, definindo as medidas que devem ser adotadas caso ocorra algum acidente.

  1. CONCLUSÕES
  • DDS – Diálogo Diário de Segurança ou Minuto de Segurança

A DDS é um forte instrumento de conscientização dos colaboradores sobre a importância do uso correto dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), sobre como a má postura pode comprometer a qualidade de vida e a produtividade, prevenção de acidentes e incêndios, entre outras questões.

A prática da DDS nada mais é do que um bate-papo diário e de curta duração, cerca de 10 minutos, conduzido por gestores de equipes, por um técnico ou um profissional de engenharia de higiene e segurança do trabalho.

Durante a conversa, são expostos alguns temas de interesse geral dos trabalhadores, que vão desde a preparação do espaço do trabalho, passando por segurança no manuseio de cargas, cuidados com choques elétricos, primeiros socorros, cuidados com produtos inflamáveis, até chegar em análises preliminares de riscos de segurança.

Autor: Paulo Brinca, HSE Supervisor, Email: paulplay2002@yahoo.co.uk – Celular 923318448 – 917400085. Luanda – Angola. 2018.

  1. REFERÊNCIAS

CT – Contratos: Contrato de Trabalho e Check Up de Saúde. Decreto sobre a Segurança, Saúde e Higiene no Trabalho, nº 31/94.

Decreto nº53/0., Regime Jurídico dos Acidentes de Trabalho e das doenças Profissionais.

Decreto nº 128/98. Regulamento de Sinalização de Segurança e Saúde no Trabalho.

Decreto sobre Auditoria Ambiental, nº01/10. LBA – (Leis de Base do Ambiente nº05/98). LGT – Lei Geral do Trabalho nº02/00.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui