O que é Meio Ambiente

1747

o que é meio ambienteConforme os Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Profissional de Nível Técnico (s/d), documento elaborado pela Secretaria de Educação Média e Tecnológica, o Meio Ambiente pode ser definido como tudo aquilo que nos cerca, levando-se em consideração os elementos da natureza como a fauna, a flora, o ar, a água, bem como os seres humanos.

Para Melo (2007), os vocábulos “meio” “ambiente” nos informam acerca de algo periférico, ou que está ao redor, em torno de um centro. Para ela, o meio ambiente é formado por terra, luz, água, pelo ser humano, etc.

De acordo com Rodrigues (apud MELO, 2007), é necessário compreendermos o meio ambiente a partir de uma visão biocêntrica, que considere o homem como um ser integrado ao meio ambiente e não de modo externo ao mesmo. Assim, o autor sugere que é necessário contrapor-se à visão antropocêntrica, a qual considera o homem como o centro em torno do qual tudo gira.

Entende-se, assim, que uma nova concepção de meio ambiente deve ser desenvolvida. O homem não deve ser considerado como elemento externo à natureza; ele é um dos elementos componentes do ambiente. O centro é, ou deve ser, a vida, por isso a idéia defendida pelo autor de que nosso entendimento de natureza deve se pautar numa visão biocêntrica (vida no centro).

Coimbra (apud MELO, 2007, p.44), defende que

meio ambiente é o conjunto dos elementos abióticos (físicos e químicos) e bióticos (flora e fauna), organizados em diferentes ecossistemas naturais e sociais em que se insere o homem, individual e socialmente, num processo de interação que atenda ao desenvolvimento das atividades humanas, à preservação dos recursos naturais e das características essenciais do entorno, dentro dos padrões da Natureza e dos padrões de qualidade definidos.

A Lei 6.938/81, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, no artigo 3º, inciso I, destaca que meio ambiente é “[…] o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas”.

Carvalho (2004, p. 35), por sua vez, afirma que é frequente, ao falarmos em meio ambiente, pensarmos em “[…] ‘natureza’, ‘vida biológica’, ‘vida selvagem’, ‘flora e fauna’”.

Para ela, pensamos assim porque somos influenciados, educados para conceber a natureza e meio ambiente a partir de um dado ponto de vista. Desse modo, salienta que nossas concepções de meio ambiente não são concepções naturais, são históricas, construídas pelos homens no decorrer da história. Em outras palavras, desde que nascemos somos educados para nos relacionarmos com os animais (de pequeno e grande porte), plantas, pessoas etc, de uma determinada maneira. Crescemos pensando que nossa forma de compreender o mundo à nossa volta é o correto, o mais verdadeiro. Mas, é preciso observar que pessoas de outros grupos se relacionam com esses elementos (animais, plantas, terra, pessoas etc) de outros jeitos. Portanto, nossa forma de entendimento não é única e nem, necessariamente, a melhor ou a verdadeira. É nesse sentido que podemos dizer que nossa concepção de natureza é histórica, pois depende da época na qual vivemos, e cultural, devido ao fato de depender da maneira como nosso grupo cultural (família, escola etc) nos ensina, nos educa para nos relacionarmos com ela (com a natureza).

A autora acima citada também ressalta que nossa compreensão de natureza, no contexto atual, deve ser ampliada. Deve captar a questão a partir do ponto de vista que considera que “[…] a natureza e os humanos, bem como a sociedade e o ambiente, estabelecem uma relação de mútua interação e co-pertença, formando um único mundo.” (CARVALHO, 2004, p. 36).

Assim, nesse ponto, a autora chama a atenção para que nossa concepção de meio ambiente seja construída com base na visão socioambiental. Para ela, essa visão nos permite compreender que meio ambiente não é sinônimo de “[…] natureza intocada […]”, mas, isso sim, “[…] como um campo de interações entre a cultura, a sociedade e a base física e biológica dos processos vitais, no qual todos os termos dessa relação se modificam dinâmica e mutuamente.” (CARVALHO, 2004, p. 37).

Continuando sua defesa, a autora diz que a perspectiva socioambiental

[…] considera o meio ambiente como espaço relacional, em que a presença humana, longe de ser percebida como extemporânea, intrusa ou desagregadora (“câncer do planeta”), aparece como um agente que pertence à teia de relações da vida social, natural e cultural e interage com ela. Assim, para o olhar socioambiental, as modificações resultantes da interação entre os seres humanos e a natureza nem sempre são nefastas; podem muitas vezes ser sustentáveis […]. (CARVALHO, 2004, p. 37, grifo nosso).

Para Melo (2007), o conceito atual de meio ambiente não é estanque, ou seja, tal conceito pode mudar acompanhando as transformações operadas pelos homens ao realizarem suas atividades de trabalho.

Para uma melhor compreensão das questões referentes ao conceito de meio ambiente e visando contribuir com um processo de novas relações dos homens com a natureza e os recursos naturais, a Educação Ambiental tem um importante papel a desempenhar. É a respeito dessa questão que o próximo item irá se ocupar.

Referências Bibliográficas

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2004.

MELO, Noerci da Silva. Os limites imanentes ao conceito de meio ambiente como bem de uso comum do povo. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul. 2007 (Dissertação de Mestrado).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui