Redução de nitratos em águas subterrâneas

0
489

Nova tecnologia faz a redução em mais de 80% dos nitratos em águas subterrâneas utilizando o próprio aquífero como reator.

nitratos-em-aguas-subterraneas-img01-0517

Pesquisadores do centro tecnológico Eurecat-CTM apresentaram em Barcelona, durante uma jornada organizada pela Agência Catalã de Água, uma tecnologia que consegue reduzir em mais de 80 porcento os nitratos das águas subterrâneas mediante biorremediação, um processo mais barato que os atuais e que não requer pessoal para o seu funcionamento.

A pesquisa, que começou em 2013 no âmbito do projeto InSiTrate, demonstrou ser factível a desnitrificação in-situ de aquíferos aluviais para a produção de água potável, usando microrganismos que se encontram de maneira natural no próprio aquífero e que transformam os nitratos em gás nitrogênio, o que permite a potabilização da água.

Detalhes da tecnologia

A Doutora Irene Jubany explica que o principal problema da água subterrânea na Catalunha é “a presença de nitratos procedentes da aplicação excessiva de fertilizantes na agricultura”, o que “faz em muitos casos que a água subterrânea não esteja apta para o consumo humano”.

A pesquisadora destaca que InSiTrate “demonstrou que a desnitrificação in-situ é mais eficiente que as tecnologias atuais porque requer menos reagentes e não gera resíduos” e isso “simplifica a sua aplicação”.

“InSiTrate demonstrou a viabilidade da nova tecnologia em uma planta piloto localizada em Sant Andreu de Llavaneres (Barcelona), aonde durante dois anos se otimizou a estratégia de biorremediação que traz o projeto”, nas palavras da Doutora Jubany.

A iniciativa “propõe um novo enfoque para o uso da tecnologia de biorremediação” e concebeu uma ferramenta preditiva baseada em modelos matemáticos que permite “projetar a estratégia de tratamento adequada para cada nova instalação”.

O projeto, com um orçamento de um milhão e duzentos mil euros, foi cofinanciado com 590.000 euros procedentes da Comissão Europeia no âmbito do programa LIFE+, de aplicação, atualização e desenvolvimento da política de meio ambiente da UE.

O projeto foi realizado em consórcio com as empresas catalãs Amphos21 e Catalana de Perforacions e contou com o apoio da Agência Catalã de Água e do município de Llavarenes.

Para maiores informações sobre o projeto InSiTrate acesse insitrate.ctm.com.es.

Fonte: Aguas Residuales (www.aguasresiduales.info), adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br


Fonte: tratamentodeagua.com.br

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here