Aproveitamento de resíduos sólidos para uso na construção civil

0
2705

INTRODUÇÃO

Muito se tem falado em meio ambiente e na problemática do lixo. Os efeitos causados pelo lixo trazem preocupações para toda sociedade. O ser humano vem percebendo que o consumo desmedido e o descontrole na exploração dos recursos naturais se transformaram em uma séria ameaça para sua existência. A grande quantidade de resíduos produzida por ações humanas causa severos danos ao meio ambiente, poluindo solos, cursos d’água e o ar, trazendo graves conseqüências para o homem. Entre os maiores consumidores dos recursos naturais e geradores de resíduos, analisaremos o ramo da construção civil. Dados alarmantes demonstram que os rejeitos gerados pela construção respondem por uma parte significativa do montante de resíduos sólidos urbanos. O objetivo deste trabalho é analisar algumas medidas que podem ser tomadas no setor da construção civil na busca de soluções que amenizam os impactos ambientais causados pelos rejeitos de obras.

A reutilização e a reciclagem dos resíduos sólidos na construção civil

A preocupação contínua com a preservação do meio ambiente, associada à evolução tecnológica, tem feito com que profissionais busquem alternativas capazes de amenizar os problemas causados pelo lixo. Toda essa quantidade de resíduos traz sérios prejuízos ambientais, que acabam por atingir não só o meio ambiente, mas a todos nós. O lixo é responsável por um dos maiores problemas ambientais que todo o mundo vem enfrentando. O descarte em locais impróprios causa visivelmente uma degradação da paisagem, seja ela urbana ou áreas rurais. Os depósitos a céu aberto produzem gases poluidores, influenciadores do tão temido efeito estufa, e mau-cheiro. Favorecem também a presença de animais e vetores de doenças.

Mas o lixo também gera problemas que não são vistos e que se traduzem em danos ao ambiente e à população. O chorume produzido pela decomposição da matéria orgânica percola e polui o solo, podendo atingir águas subterrâneas. A queima desses materiais polui o ar. O destino inadequado provoca o entupimento e o assoreamento de cursos d’água, de bueiros e galerias, estando diretamente relacionado às constantes enchentes. É um engano pensar que os efeitos do lixo são pontuais ou que causam problemas apenas nas proximidades desse amontoado de detritos. Os efeitos podem ser sentidos a quilômetros de distância.

Existem algumas saídas para essa problemática, apesar de sabermos que não há uma solução final. A coleta seletiva, a compostagem, a incineração, a reciclagem, disposição em aterros sanitários, são algumas medidas apresentadas e que tem trazido bons resultados. Todos esses processos são soluções viáveis, mas exigem um engajamento de toda a sociedade e do setor público.

Há muitos anos a atenção está voltada para o lixo doméstico, esquecendo-se dos resíduos gerados pela construção. A construção civil impacta o meio ambiente consideravelmente diante da exploração dos recursos minerais: jazidas de pedra, areia, alumínio, calcário, ferro, zinco, cobre, etc. É um setor que consome água e madeira demasiadamente. E, ao mesmo tempo, impulsiona a produção de resíduos urbanos. Estimativas indicam que construção civil representa 40 a 60% do resíduo sólido urbano das grandes cidades. Em muitos casos esses resíduos são depositados em bota-fora clandestinos, nas margens de rios e córregos, em terrenos baldios, e, em alguns casos, aterros sanitários.

Diante de tantos impactos causados por esses resíduos, profissionais e empresas vem buscando soluções ambientalmente responsáveis, adequando-se ao princípio dos 3 R’s – Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

Pensando nisso pesquisadores desenvolveram propostas de reciclagem do material de construção, a ser realizada no próprio canteiro. O processo da reciclagem traz benefícios ambientais e financeiros, reduzindo o consumo de agregados naturais, a disposição dos rejeitos em aterros, o consumo de energia e eliminando os custos com transporte.

O entulho gerado na construção compreende materiais de várias espécies, tais como: concreto, areia, pedra, madeira, tijolo, gesso, telhas, cerâmicas, carpetes, metais, papéis, plásticos, entre outros. Muitos desses materiais são passíveis de reciclagem. Algumas empresas tem adotado esta medida e a reutilização de materiais na tentativa de amenizar e/ou controlar os problemas ambientais causados por esses resíduos. Muitos materiais descartados como lixo, como pneus, garrafas PET, isopor e os resíduos da construção, podem ser tratados como insumos para fabricar produtos que serão utilizados nas próprias obras. Grandes pedaços de concreto podem ser aplicados como material de contenção para prevenção de processos erosivos na orla marítima e das correntes, ou usado em projetos como desenvolvimento de recifes artificiais.O entulho triturado pode ser utilizado em pavimentação de estradas, enchimento de fundações de construção e aterro de vias de acesso. 

Alguns experimentos já demonstraram bons resultados na fabricação de blocos de concreto a partir de pneus e isopor. A presença desses materiais diminui a quantidade de areia utilizada para a produção desses blocos. Outro fator favorável neste caso é o controle da temperatura nessas construções depois de acabadas, visto que a composição química desses materiais caracteriza-os como isolantes térmicos.

Em Araçoiaba da Serra, município de São Paulo, uma empresa utilizou pneus reciclados para realizar uma obra de captação pluvial em avenidas da cidade. O resultado foi uma economia de R$ 54.000,00.

Uma empresa de engenharia conceituada adotou em suas obras a utilização de um reciclador móvel. O equipamento processa concreto armado no canteiro de obra, transformando-o em agregado reciclado com características que se assemelham às da brita. O produto final da reciclagem pode cumprir as funções da brita, sendo utilizado em aterros, reforço de sub-leito e pavimentações diversas, como calçamento de praças e logradouros públicos. Esta empresa apresenta um resultado de 40 mil toneladas de material reciclado, reaproveitando 85% nas próprias obras.

Uma pousada no litoral do Rio de Janeiro adotou uma política de lixo mínimo em suas atividades. Para tanto, todos os resíduos que não eram passíveis de reciclagem e de reaproveitamento passaram a ser alojados no interior de tijolos, na construção de paredes.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muitos projetos e estudos abordando lixo como tema estão sendo apresentados. A reciclagem de resíduos da construção civil oferece inúmeras vantagens tanto no âmbito financeiro quanto ambiental. Além da redução dos custos com transporte e consumo de energia, a reciclagem favorece também a redução da derrubada de árvores e ainda, da extração de recursos naturais, como minério, areia e brita. A utilização de materiais que seriam descartados contribui também para o prolongamento da vida útil dos aterros sanitários.

A reciclagem é uma medida muito importante e uma solução viável em diversas situações. Porém, é um processo que trata dos resíduos em sua destinação final. O ideal seria buscarmos soluções para reduzir o consumo e o desperdício, diminuindo assim a quantidade desses resíduos. Mão de obra qualificada e engajada faz-se importante para alcançarmos este objetivo. Dessa forma, o meio ambiente será poupado e a sociedade sentirá os benefícios.

Autora: Carolina Machado e Bedim

REFERÊNCIAS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here